terça-feira, 1 de maio de 2007

Vazio


Promessas de felicidade eterna
à todas as horas, em todos os sítios,
punhados de esperança
e uma tentativa desesperada de recordar alguma coisa,
Nada.

2 comentários:

Marina disse...

Ola,estou a ver que temos artista.Adorei os teus poemas,realmente surpreendeste-me.Um grande abraco,meu amigo.

Heraclita disse...

O vazio... o nada... terrível de se sentir...