terça-feira, 10 de abril de 2007

Contador de Sonhos


Havia muita gente na rua naquele dia. Eu caminhava no passeio, depressa. A multidão não parava de passar, caminhavam empurrando-se uns as outros. A certa altura encontro-me a frente de um homem, dizia que era o Contador de Sonhos, já tinha sonhado com tudo mas não passava de um mero sonhador num mundo cheio de sonhadores. Durante breves segundo paro a minha caminhada, gostava de lhe perguntar alguma coisa.
_ Contador de Sonhos!!! Conta-me o teu sonho!
Sonhas com o mar, as estrelas e a lua mas por quem sonhas?
Sonhas com a voz cristalina da criança, será porque o seu sorriso enfeita a manhã ou porque na sua inocência há um coração magoado?
Mas diz-me se nos teus sonhos o teu coração sente o que tu queres sentir ou se ele voa sem rumo a procura de quem ama? E se sempre que tudo parece acabar, ganhas coragem e estas pronto para começar de novo?
Diz-me se sonhas com ela? Se ela existe, e se sempre que lhe tentas tocar ela foge-te por entre os dedos.
Sei que sonhas com novos começos mas será que estas pronto para começar sem ela?
É pelo sonho que chegamos ou não chegamos, que partimos ou ficamos num tempo remoto sem vida, fé e sem esperança naquilo que talvez não teremos porque não sonhamos. Mas tu sonhas e a terra não brilha mais do que o sol, achas que todo este mundo de sonhadores vale a pena existir onde todos estão errados?
Contador de Sonhos, esse teu silêncio é a prova de que nos sonhos tudo pode acontecer mas quando acordas nada do que sonhaste existe? Ou estás para aí a pensar que todos nós tentamos alcançar o que sonhamos mesmo que não acreditemos que tal é possível?
O silêncio permite ter uma vida por dentro, que passa por cima da pressa, da confusão das sensações e faz-te permanecer em sossego, como o fundo do mar, longe das ondas e do vento.
É pelo silêncio que entras no mundo dos sonhos? Era importante que eu lá entrasse porque quero sonhar como tu, quero voar e acreditar no amor, acreditar que tudo pode existir mesmo quando acordo.
Diz-me porque fugimos, porque não queremos esta sensação de liberdade?

4 comentários:

Anônimo disse...

Gostei do teu texto. :) sabes que, como dizia S.Gama,
"Pelo sonho é que vamos,
Comovidos e mudos.
Chegamos? Não chegamos?
Haja ou não frutos,
Pelo Sonho é que vamos.
Basta a fé no que temos.
Basta a esperança naquilo
Que talvez não teremos.
Basta que a alma demos,
Com a mesma alegria, ao que é do dia-a-dia.
Chegamos? Não chegamos?
-Partimos. Vamos. Somos."

Por isso, basta sonhar, acreditar que existem muitos bancos de jardim... e saber que muitas perguntas são feitas para nunca terem resposta...

beijinho*

Liliana

Catarina Sousa disse...

(...) esse teu silêncio é a prova de que nos sonhos tudo pode acontecer mas quando acordas nada do que sonhaste existe?(...)

Existe, se acreditares nas tuas capacidades.. assim como já me mostraste que nada é impossível!
Um Beijinho ;)

Rochefort disse...

Uma prosa que revela a complexidade de um pensamento, de um ser que como quase todos os restantes anseia por saber mais. Penso que por querer saber demais de uma única vez tornou o texto condensado e algo difícil de ler. Experimente lê-lo em voz alta e repare como existem "barreiras" para a sua oratória. Nem sempre a complexidade é sinónimo de beleza.
Continue, espero poder ler mais alguns textos seus.

Marina disse...

Que todas as criaturas da Noite te invejem,neste dia em que este mundo maquinal transformou-se num reino imaginário,repleto de contos de fadas,com príncipes e princesas,onde a escuridão não tem lugar!
São criaturas místicas que caem sob a forma de gotas de chuva...Que vêm deslizando suavemente...Pairam a meus pés...E com breves gestos oferecem-me o mundo...Toda a Luxúria,e com ela a Volúpia,a Escuridão e também o Amor...Que percorre-me a velocidades jamais atingidas por outro ser...
Esse Amor,que faz meu corpo morto renascer outra e outra vez...Maldito espectro hesitante!!!
Encontro-me melancólica em meus aposentos...À espera da noite,porque com ela meu príncipe surgirá também...Juntos fugiremos para outros recantos..Lugares onde a mente humana não alcança...
Essa floresta!!!..Onde tantas vezes perdemo-nos descontroladamente um no outro..Como um vampiro sedento de sangue..Que espera a sua próxima vítima longe daqui..
E nada mais resta excepto o teu olhar..Eu não sou nada.És tudo.Porque consegues ver o vazio em meus olhos.Toda a inexpressividade..Toda a inércia e o desejo de ser tomada novamente em teus sôfregos braços..