terça-feira, 15 de abril de 2008

Insane delirium


Que todas as criaturas da Noite te invejem, neste dia em que este mundo maquinal transformou-se num reino imaginário, repleto de contos de fadas, com príncipes e princesas, onde a escuridão não tem lugar! São criaturas místicas que caem sob a forma de gotas de chuva... Que vêm deslizando suavemente... Pairam a meus pés... E com breves gestos oferecem-me o mundo... Toda a Luxúria, e com ela a Volúpia, a Escuridão e também o Amor... Que percorre-me a velocidades jamais atingidas por outro ser... Esse Amor, que faz meu corpo morto renascer outra e outra vez... Maldito espectro hesitante!!! Encontro-me melancólica em meus aposentos... À espera da noite, porque com ela meu príncipe surgirá também... Juntos fugiremos para outros recantos... Lugares onde a mente humana não alcança... Essa floresta!!! Onde tantas vezes perdemo-nos descontroladamente um no outro. Como um vampiro sedento de sangue. Que espera a sua próxima vítima longe daqui. E nada mais resta excepto o teu olhar. Eu não sou nada. És tudo. Porque consegues ver o vazio em meus olhos. Toda a inexpressividade. Toda a inércia e o desejo de ser tomada novamente em teus sôfregos braços...

Marina

4 comentários:

Marina disse...

Olá! Obrigada por teres colocado o meu poema no teu blog. A imagem tá mesmo brutal!! Eu não escolheria melhor!!Digo o mesmo do título. Adequa-se totalmente ao meu poema..
Respeitaste os meus direitos de autora hehe, colocaste o meu nome!
Mais uma vez obrigada. Um beijinho para ti.

Marina disse...

What is it that we’re struggling for?
I don’t quite see it anymore
Life kicks us in the teeth
Yet something makes us crawl back for more...

Élio & Filomena disse...

Eu disse-te que tratava da imagem e do título, e ainda bem que gostaste.
O texto está muito bom eu gostei.
;)

Heraclita disse...

Parabéns, Marina! O teu texto está bonito ;)

O Élio escolheu bem o título e a imagem :)

beijinho*