quarta-feira, 11 de junho de 2008

Para Avó (quatro anos depois)


Ali sentada, corrias apressada para um final incerto.
De repente o seu último desejo: uma chavena de leite.

As pessoas não morrem, apenas deixam de se ver... Todos nós somos eternos, e ao contrário da chuva as memórias não acabam.

2 comentários:

Marta disse...

Ganhaste uma estrela! :)

Beijinho

Heraclita disse...

Quem me dera todas as avós terem um neto tão especial como tu.

beijinhos**