quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

O seu relato


Abaixo o consumismo exagerado
E este amor oco,
É tempo de partilha,
Tempo de amor, do verdadeiro amor.
Por momentos esquece o teu inimigo,
E considera-o um grande amigo.
Porque é tempo de amar
De viver, de sonhar e de acreditar,
Acreditar na mudança e ter esperança,
Esperança de que tudo continuará
Para além das hipocrisias e das mentiras,
Que por momentos desaparecem
Nos sorrisos e beijos forçados
Dados porque ficam sempre bem.
E porque ninguém sabe o que pensam
Mas demonstram amar e não odiar,
Porque é Natal, Tempo de Amor
Do Verdadeiro Amor.

4 comentários:

Sandra disse...

Credo tens tanta razão em tudo o que dizes neste texto. Buh.


Beijinhos..

Marta disse...

acho que é como dizes... hipocrisias, falsidades e etc... nao acho que por ser natal o ''verdadeiro amor'' apareça..

beijos

© Piedade Araújo Sol disse...

quase um grito...mas esse grito é verdadeiro!

tambem concordo com o que dizes em forma de poema.

beij

Adélia disse...

tens razao mas penso que as pessoas se recusam a amar assim verdadeiramente porque quando amamos verdadeiramente tb sofremos verdadeiramente quando algo nao esta bem... é algum medo da entrega que joga aki com as emoçoes originais...

Beijinhos