sábado, 31 de janeiro de 2009

Janeiro



Arrepio transversal na espinha,
mãos geladas, pé dormente.
Ranger de dentes com som a trovoada.
Frio nocturno em que o chocolate quente
aquece os corações aos mendigos de amor.

Mês que chega ao fim
sem que te prometa alguma coisa,
que nem sei o quê.
Porque a minha voz gelou,
E o meu pensamento está preso a ti.

7 comentários:

paradoXos disse...

eu é que fiquei preso com a beleza deste documento poético!!!

abraços!


Heduardo

Sandra disse...

Uau, mais um que nem sei o que dizer.. Tá lindo, sim. Tá!

Beijo :D *

Marta disse...

Está fantástico!

beijinhos

Adélia disse...

Aos poucos vais descobrindo o que fazer com esses sentimentos.
Ta lindo o poema!
Beijo

Daniel Silva (Sair das Palavras) disse...

Olá

Passa no meu blogue e aceita o desafio.

Obrigado.

Abraço.

Heraclita disse...

Lindo!
Adorei.
Gostei da forma como terminaste: "Porque a minha voz gelou, E o meu pensamento está preso a ti."

beijos...

Anônimo disse...

~ O élioo e os seus pensamentos Filosóficoss (';
Beijjinhoss .

JéssicaFerraz :C