segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Hoje…escrevo memórias


O que nos resta agora?
A íntima distância do olhar e este breve sabor a saudade nos lábios.
Mas olha para mim como sou,
para quem ainda não caíram as asas,
para aquele que amanheceu sem que o tivesses amado.

Há dias assim, em que o tempo não passa ,
Em que sou arrastado pela trajectória do vazio,
para, este espaço onde não tenho lugar.

10 comentários:

Marta disse...

de vez em quando gosto dessa ideia,de ''não ter lugar''

beijinho

Sandra disse...

Hum, que tristeza toda é essa?
Mas, sim tens razão. Há mesmo dias em que o tempo não passa e onde nos pomos a viajar para sítios impossíveis onde "não há lugar" para nós..

Beijos

Élio - Filomena disse...

Não é triteza, são apenas memórias...

Beijos..

ลndreia disse...

Nostalgia... *

Heraclita disse...

Lindo!
Sem dúvida, "há dias assim"...

© Piedade Araújo Sol disse...

um certo desalento.

um pouco de nostalgia!

mas, amanha o sol nascerá de novo!

um beij por aí!

Adélia disse...

quando caimos no vazio...
ta lindo

bjs

ลndreia disse...

Há dias em que nós somos o tempo! *

Érica disse...

Dias assim... em que nos sentimos sozinhos no mundo... compartilho com você este poema! Adorei seu espaço... bjos

Heraclita disse...

memórias...