domingo, 15 de março de 2009

Rosa

Os anos passarão. Os canteiros hão-de gerar um outro buxo. Outros pássaros virão cantar nos ramos altos do pinheiro manso e dos plátanos. A tia morrerá. E a casa e o jardim, a própria vila, suas rotinas, seus ritmos e seus ecos. Não ficará senão a tua voz na tarde calma. Olá, disseste. E a terra começou a tremer.
Manuel Alegre - A terceira rosa

4 comentários:

miguel, miguel miguel disse...

Grande poeta, grande senhor!

É uma citaão muito bonita... Algo melancólica, mas bonita.

"A mim ninguém me cala!" :)

Até logo

Daniel Silva disse...

Gosto muito de muito do que ele escreve.

Adélia disse...

o q faz do lugar ser especial mtas vezes é as pessoas com quem estávamos :)
concordo com o Miguel, a frase é melancólica mas bonita
beijo

© Piedade Araújo Sol disse...

o Manuel Alegre é um Poeta muito bom.

gostei da tua escolha.

beij