segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Balançar


"(...)Pedes-me um sonho
para fazer de chão
mas eu desses não tenho
só dos de voar
e agarras a minha mão
com a tua mão
e prendes-me a dizer
que me estás a salvar
de quê?
de viver o perigo
de quê?
de rasgar o peito
com o quê?
de morrer mas de que, paixão?
de quê?
se o que mata mais é não ver
o que a noite esconde
e não ter nem sentir
o vento ardente
a soprar o coração..."

5 comentários:

Diogo disse...

Epá temos poeta! Continua :)

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Fazes falta, Elio! Vem mais vezes, please...

Abraço grande

Sandra disse...

mui bien :D*

© Piedade Araújo Sol disse...

um pouco de desalento.

gostei|

beij

Carla disse...

há sonhos para todas as necesidades
beijo